18th May2013

20 filmes dos anos 2000

by Pedro Henrique Gomes

moolade

Tem gente boa divulgando listas com os melhores filmes da década passada. O Milton do Prado e o Filipe Furtado, por exemplo, postaram seleções de respeito. Fiz a minha também, a pedido da Liga dos Blogues. São vinte filmes que considero importantes para traçar um espectro do cinema contemporâneo, lançados entre 2000 e 2009 (período delimitado pela Liga). Aí estão!

Os Indigentes do Bom Deus (2000, Jean-Claude Brisseau)
Werckmeinster Harmonies (2000, Béla Tarr)
Elogio do Amor (2001, Jean-Luc Godard)
Desejo e Obsessão (2001, Claire Denis)
A Hora da Religião (2002, Marco Bellocchio)
Nha Fala (2002, Flora Gomes)
Dez (2002, Abbas Kiarostami)
Um Filme Falado (2003, Manoel de Oliveira)
Moolaadé (2004, Ousmane Sembène)
Escola do Riso (2004, Mamoru Hoshi)
Mal dos Trópicos (2004, Apichatpong Weerasethakul)
Amantes Constantes (2005, Phillipe Garrel)
O Signo do Caos (2005, Rogério Sganzerla)
Bamako (2006, Abderrahmane Sissako)
Serras da Desordem (2006, Andrea Tonacci)
Onde os Fracos Não Têm Vez (2007, Joel Coen e Ethan Coen)
Redacted (2007, Brian De Palma)
A Viagem do Balão Vermelho (2007, Hou Hsiao-hsien)
Amantes (2008, James Gray)
Bastardos Inglórios (2009, Quentin Tarantino)

7 Responses to “20 filmes dos anos 2000”

  • Parabéns pela seleção, Pedro. Admito que há nela muitos filmes que não pude assistir, mas é perceptível sua diversividade. Pude perceber que a maioria dos membros da Liga gosta muito de “Amantes”, um drama bem profundo sobre amor e rejeição. “Redacted” é uma experiência que não quero repetir tão cedo – particularmente, escolheria “Femme Fatale” como o grande De Palma da década passada.

  • Bela lista, Pedro!

  • Alessandro Silveira

    Bela lista, se eu fosse fazer uma, provavelmente, manteria quase todos os filmes relacionados, contudo certamente tiraria dois: “Onde os Fracos Não Têm Vez” e colocaria ou “Contra a Parede” de Fatih Akin ou “Entre les murs” de Laurent Cantet. Tiraria também “Bastardos Inglórios” e colocaria “4 Meses, 3 Semanas e 2 Dias” do diretor romeno Cristian Mungiu.

  • Alessandro

    Recomendo nesta fase também “Ventos da Liberdade” (The Wind That Shakes the Barley) do cineasta britânico Ken Loach. Que dirigiu a obra prima do cinema Kes.

  • Alessandro

    Quando disse obra prima, me refiro especificamente ao diretor, que aliás figura entre os meus cinco diretores prediletos.

Leave a Reply to Alessandro Silveira Cancel reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *