20th Jan2012

Algumas perguntas para os cinéfilos

by Pedro Henrique Gomes

Por que gostamos de filmes ruins? Por que não gostamos de filmes bons? O que é um filme ruim? O que é um filme bom? O que é um bom filme? O que é um mau filme? Um filme é extrinsecamente ruim? Um filme é intrinsecamente bom? Filmes ruins são aqueles de que não gostamos? Por que gostamos de um filme mesmo dizendo saber que esse filme é ruim? Gostar por empatia é realmente gostar? Quando deixamos de gostar de um filme, isso diz mais sobre nós mesmos do que sobre o filme em si? Quando passamos a gostar de um filme de que não gostávamos é isso um sinal de que amadurecemos ou simplesmente deixamos de ser chatos? Cinema é diversão? Cinema é política? Cinema é lazer? Cinema é arte? O que é arte? Quando um filme se torna uma obra de arte? Quem define o que é arte no cinema? O que é um filme político? Que querem dizer vocês com subestimado? Que é superestimado? Pode um filme ser subestimado pra mim e superestimado pra você? Como qualificar esse embuste? Um filme é bom por ser muito visto? Ou um filme é bom por nunca ser visto? O que é o sucesso? O que é o fracasso? Filmes devem ser proibidos? Cineastas devem ser presos por seus filmes? Filmes são sobre a realidade? Ou são ficções da realidade – ou realidades da ficção -? Um filme deve ser realista? Um filme mente? A verdade é importante? A mentira é boa? Por que os melhores personagens são pessoas horríveis? Gostamos da violência no cinema? Por que gostamos da violência no cinema?

O que é um filme? O que é o cinema?

9 Responses to “Algumas perguntas para os cinéfilos”

  • Isso é cinema:

    “O cinema não deveria entrar no museu nem integrar instalações. O museu, como o teatro, é a sociedade burguesa. O cinema é uma arte popular, ele exige a sala escura, na qual podemos nos esconder num canto, onde estamos protegidos pela escuridão, onde não há entreato, nem coquetel, nem casacos de pele, nem olhares – salvo aqueles que circulam entre a tela e os espectadores.

    E, quando o filme termina, e as luzes ainda não estão acesas, nós nos levantamos e vamos embora.”

    Eugenio Renzi

  • Levarei essas perguntas para a cama. Enquanto cinéfilo são questões sobre as quais terei imenso prazer em debruçar-me. Belíssimo texto, ousado, pq nao… perturbador. Virei visita-lo ainda com mais frequência! Parabéns!

  • Boas perguntas. Eu tento respondê-las de seguinte forma: assistindo a todos os filmes que eu posso, bons ou ruins, de bom ou mau gosto, de qualidade ou não. Até porque, acho que, para a gente saber reconhecer o que é bom, temos que saber o que é ruim; para a gente escrever bem sobre o tema, a gente tem que ter repertório, conhecimento (e, para alcançar isso, só lendo muito e assistindo a muitos filmes). Mas, a verdade é que a gente se depara com essas perguntas sempre e nunca saberemos a resposta delas. Estamos sempre à procura disso.

    E cinema, para mim, é uma forma de arte que me ajuda a entrar em contato comigo mesma e a refletir sobre o mundo no qual eu vivo. Eu gosto de filmes que mexem comigo e tento refletir, em meus textos, como aqueles filmes fizeram com que eu me sentisse, qual a minha reação emocional a eles.

  • Como os pesquisadores da Belle Époque (1871-1914) deixaram muito claro, o cinema foi uma das melhores criações burguesas do fim do século XIX, ja que, por um preço camarada, pessoas podiam se divertir e principalmente, ao “adentrar no filme”, esquecer por algumas horas as dificuldades do dia-a-dia e outras coisas. O cinema mudou consideravelmente nesses cento e poucos anos, mas acredito que o propósito inicial dificilmente será quebrado: de nos entorpecer e nos transformar, nem que seja por poucas horas. O resto e resto 🙂

  • Algumas não, muitas perguntas..Hahaha…Nossa! Que complexo! O cinema é muitas coisas. Tenho medo de dizer que um filme é bom ou ruim. Pra mim, às vezes certos elementos podem estar conectados enquanto outros parecem fora do padrão, e tem ainda esses “fora do padrão” que dão super certo. Mas de uma coisa eu sei, cinema não é uma ciência exata e eu não poderia nunca responder suas perguntas de maneira linear, porque o cinema não é linear, ele totalmente subjetivo. Embora eu goste de criticar filmes, acho que cada um tem sua interpretação do que viu. Não adianta eu te dizer que você criticou um filme errado porque vc tem uma bagagem cultural diferente da minha, assim como suas referências são diferentes das minhas. E esse comentário está começando a parecer meio reticente. Hahaha..
    =1

  • O eu é um outro.

  • Geneuronios

    Alguém assistiu “Sob Controle” (Surveillance) da Jennifer Lynch, filha do David Lynch? Alguém assistiu “O Assassino Em Mim” ?
    São dois exemplos de filmes que nem todos gostam, ou seja, quem gosta entrou no filme. Cinema é isto, entrar e viver o filme. Assistam os dois.

  • Muitos dos questionamentos levantados não tem uma resposta efetiva. Afinal, cinema é uma arte de camadas totalmente subjetivas, seja por aqueles que a fazem, seja por aqueles que a apreciam. Assim, percorremos por vários tópicos moldados através de todas as características que formam nossa personalidade. Eu defino como cinema bom e relevante aquele que é capaz de me provocar positivamente, que me incentive a refletir sobre a história que acabei de testemunhar e sobre o mundo ao meu redor. Porém, há outros que encare cinema como terapia, lazer, profissão, passatempo et cetera. E aí nos deparamos com indivíduos que passam por esses mesmos questionamentos, encontrando respostas totalmente distintas da minha. Nada de errado, enfim.

  • mar

    filme bom é cultura
    filme ruim é diversão

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *